Os verdadeiros finais dos Contos de Fadas: Cinderela

Nextale/ junho 15, 2021/ Uncategorized/ 0 comments

Se você acompanhou aqui no blog as partes 1 e 2 sobre os verdadeiros finais dos contos de fadas, você já sabe que as versões originais dessas histórias que tanto amamos desde a infância não são bonitas e inocentes assim. Mas como sabemos que você , assim como nós aqui da Nextale, é super curioso e quer saber tintim por tintim de todas as modificações que precisaram ocorrer nesses contos até a narrativa ser feita de uma forma bem mais mágica (e menos violenta) pela Disney, separamos hoje um final alternativo de Cinderela, pelos irmãos Grimm.

A história de Cinderela

Tanto as versões de Charles Perrault (que já falamos aqui que é considerado o “Pai dos Contos de Fadas” por ter sido a primeira pessoa a transcrever essas histórias folclóricas europeias) quanto a dos irmãos Grimm são bastante parecidas. Em ambas histórias a mãe da jovem morre e o pai se casa com a madrasta que tem duas filhas. Após a morte do pai, as três passam a atormentar a vida da pobre jovem que passa a ser conhecida como “Borralheira”

Nas duas versões do conto, a jovem deseja ir ao baile, mas como o seu pedido é negado, ela recebe uma “ajudinha mágica”. E é aqui que as histórias se divergem.

A versão de Perrault

Essa é a versão que todos mais conhecem graças ao filme da Disney de 1950, com a fada madrinha, a varinha de condão, os animais e as abóboras virando carruagem. Cinderela e o príncipe se conhecem no baile, dançam, mas ao bater do relógio a meia noite, a jovem sair correndo e perde o seu sapatinho de cristal.

O príncipe, então, passa a buscar a dona do sapato por toda a cidade. Ele, por fim, chega a casa de Cinderela e suas irmãs até tentam calçar o sapato, mas não conseguem. Quando a protagonista calça o sapatinho e ele encaixa-se perfeitamente no seu pé, ela retira o outro do seu bolso. Daí, sua fada madrinha reaparece, transformando-a novamente em como ela estava no baile, provando que ela realmente era a jovem misteriosa. O príncipe e Cinderela ficam juntos e ela perdoa as irmãs por todas as maldades, levando-as inclusive para morar no castelo do príncipe!

Versão dos Irmãos Grimm

Na versão dos irmãos Grimm, ao ter o pedido para ir ao baile negado por sua madrasta, a jovem chora em frente à uma árvore mágica que foi plantada no túmulo de sua mãe. Ela pede roupas adequadas para ir ao baile e o pedido é prontamente atendido.

A jovem, então, vai ao baile, conhece o príncipe e também, a meia noite foge sem revelar sua identidade. Mas nessa versão o desespero do príncipe é tão grande que ele resolve fazer uma armadilha para evitar a fuga da Cinderela.

O príncipe ordena então que as escadarias sejam untadas por cera de sapateiro, onde a Cinderela prende o seu sapatinho, que nessa versão era de ouro.

O príncipe começa a sua busca pela jovem mas ao contrário da versão de Perrault, as irmãs de Cinderela não desistem tão fácil assim de tentar encaixar os seus pés no sapatinho e chegam a CORTAR SEUS DEDÕES E SEUS CALCANHARES!

O príncipe é enganado, mas as irmãs são denunciadas pelo rastro de sangue e pelos pássaros da árvore mágica que cantam uma canção:

“Olhe para trás, olhe para trás,

há sangue no sapato,

o sapato é pequeno demais,

sua noiva lhe espera muito atrás.”

A história acaba com irmãs sendo perseguidas pelos pássaros e tendo suas órbitas devoradas. Final feliz para quem, não é mesmo?

Diz aí nos comentários: já conhecia essas versões originais? E para ler contos de Charles Perrault de uma maneira completamente nova e imersiva é só baixar o app da Nextale no seu celular!

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Cinderela#:~:text=No%20final%2C%20as%20irm%C3%A3s%20malvadas,para%20Cinderela%20usar%20no%20baile.

http://www.adorocinema.com/noticias/filmes/noticia-112347/?page=2 http://www.conversacult.com.br/2013/05/a-verdade-por-tras-de-cinderela.html

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*