Curiosidades sobre Mary Shelley

Nextale/ agosto 31, 2021/ Uncategorized/ 0 comments

Autora, dramaturga, ensaísta, biógrafa, escritora de literatura de viagens e editora, Mary Shelley era uma mulher à frente de seu tempo. Muitos a conhecem como a autora de Frankenstein ou o Prometeu Moderno, um dos mais famosos romances do terror gótico. Entretanto, não é só por isso que ela se tornou uma das mais importantes escritoras da literatura inglesa. Então, que tal descobrir mais sobre essa mulher incrível?

Começo de vida

Mary Wollstonecraft Shelley ou, simplesmente, Mary Shelley nasceu em Londres no dia 30 de Agosto de 1797. Não é à toa que ela tenha se aventurado pela literatura, pois era filha do filósofo William Godwin e da escritora Mary Wollstonecraft. Infelizmente, a mãe morreu dez dias após dar à luz a criança. Apesar disso, Mary se sentia próxima da mãe, encontrando conforto em suas obras. 

Mãe feminista

Sua mãe, Mary Wollstonecraft, era uma escritora, filósofa e grande representante dos direitos da mulher. As obras da mãe de Shelley se tornaram bases do feminismo moderno e tiveram grande influência no trabalho da filha. Uma das obras mais conhecidas é “Uma Reivindicação pelos Direitos da Mulher”, de 1792. 

Carreira

A ideia para a sua obra mais famosa surgiu de um desafio entre autores. Mary começou a escrever Frankenstein quando estava passando as férias com seu marido, o famoso poeta Percy Shelley, e uns amigos em Genebra que também eram escritores. Os autores lançaram uma competição, a qual Mary venceu, em que cada um deveria apresentar um conto de terror. Seu marido a influenciou a escrever mais sobre a história criada a partir da brincadeira e, em 1818, Frankenstein foi publicado.

Mary Shelley ainda escreveu livros de viagens, artigos biográficos e outros romances, entre eles “Mathilda” (1820), que é considerado pelos críticos como autobiográfico. Além de escritora, Mary ainda atuou nas publicações das obras de seu marido.

Pioneira na Ficção Científica

Seu livro mais famoso, ‘Frankenstein’, é considerado o primeiro romance moderno de ficção científica, muito anterior às obras de outros autores consagrados do gênero, como Júlio Verne e H.G. Wells. Mary Shelley, durante a sua vida, continuou escrevendo no gênero, obras como no conto “O inglês reanimado”, que conta a história de um homem que volta a viver depois de passar anos congelado em um bloco de gelo; e “O último homem”, que fala sobre o único sobrevivente de um mundo que foi destruído por uma peste.

Anonimato e reconhecimento

A primeira edição da obra “Frankenstein” foi publicada anonimamente em 1818, não sendo muito bem recebida pelos críticos, apesar de ter conquistado leitores apaixonados.  Em 1831, uma nova versão foi publicada, desta vez com o nome de Mary Shelley. Com o surgimento da crítica literária feminista na década de 1970, as obras da autora, particularmente Frankenstein, começaram a atrair muito mais a atenção dos estudiosos.

Morte

Em seus últimos anos de vida, Mary Shelley sofreu diversas dores de cabeça e ataques de paralisia, que muitas vezes a impediam de ler e escrever. Ela morreu com 53 anos em Fevereiro de 1851, em Chester Square. Seus médicos suspeitavam que a causa da morte se devia a um tumor cerebral.

Gostou de conhecer essas curiosidades sobre essa grande autora da literatura mundial? Então aproveite e venha ler “Frankenstein” pelo aplicativo da Nextale e ter uma nova experiência de leitura imersiva!

Referências

https://www.ebiografia.com/mary_shelley/

https://cultura.uol.com.br/noticias/382_em-homenagem-aos-220-anos-de-mary-shelley-confira-curiosidades-sobre-a-escritora.html

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/historia-hoje/biografia-inedita-revela-turbulenta-vida-de-mary-shelley-e-mary-wollstonecraft.phtml

https://bibliotecaucs.wordpress.com/2013/10/05/10-curiosidades-sobre-mary-shelley/

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*